sábado, 28 de março de 2015

[RESENHA] Dois Garotos se Beijando - David Levithan


Há livros que conseguem emitir uma sensibilidade demasiadamente incrível. Apresentam-se ao leitor de forma sutil, aparentemente previsível, mas que, de maneira singela, mostram-se incríveis e surpreendem; surpreendem muito mesmo por se mostrarem leituras completamente únicas e humanas. “Dois Garotos se Beijando” chegou até mim de forma bastante inesperada e no momento certo. Sem esquecer que se mostrou uma leitura totalmente incrível e que me modificou. Você entenderá o que digo mais à frente.

Editora: Galera Record
ISBN: 9788501102096
Ano: 2015
Páginas: 224
Nota: (5/5 - FAVORITO )
Dois Garotos se Beijando - Baseado em fatos reais e em parte narrado por uma geração que morreu em decorrência da Aids, o livro segue os passos de Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão prestes a participar de um desafio: 32 horas se beijando para figurar no Livro dos Recordes. Enquanto tentam cumprir sua meta — e quebrar alguns tabus —, os dois chamam a atenção de outros jovens que também precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer.

segunda-feira, 23 de março de 2015

[RESENHA] A Rainha Normanda - Patricia Bracewell


Eu adoro ficção histórica. De verdade. Sempre acabo descobrindo e conhecendo detalhes da história da humanidade até então desconhecidos. E como sempre adorei a matéria de História na escola, tudo faz total sentido e quase sempre gera satisfação. No entanto, há autores que não conseguem me fazer ser parte da história; é aquela velha situação do envolvimento que nem sempre acontece. Pois é, infelizmente, isso aconteceu novamente com este livro.

Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413779
Ano: 2015
Páginas: 400
Nota: (2,5/5)
Em 1002, Emma da Normandia, uma nobre de apenas 15 anos, atravessa o Mar Estreito para se casar. O homem destinado a ser seu marido é o poderoso rei da Inglaterra, Æthelred II, muito mais velho que ela e já pai de vários filhos. A primeira vez que ela o vê é à porta da catedral, no dia da cerimônia. Assim, de uma hora para outra, Emma se torna parte de uma corte traiçoeira, presa a um marido temperamental e bruto, que não confia nela. Além disso, está cercada de enteados que se ressentem de sua presença e é obrigada a lidar com uma rival muito envolvente que cobiça tanto seu marido quanto sua coroa. Determinada a vencer seus adversários, Emma forja alianças com pessoas influentes na corte e conquista a afeição do povo inglês. Mas o despertar de seu amor por um homem que não é seu marido e a iminente ameaça de uma invasão viking colocam em perigo sua posição como rainha e sua própria vida. Baseado em acontecimentos reais registrados na Crônica Anglo-saxã, A rainha normanda conduz o leitor por um período histórico fascinante e esquecido, no qual fantasmas vigiam os salões do poder, a mão de Deus está presente em cada ação e a morte é uma ameaça sempre à espreita.Governando na época compreendida entre o rei Artur e a rainha Elisabeth I, a rainha Emma é uma heroína inesquecível cuja luta para encontrar seu lugar no mundo continua fascinante até hoje.

quinta-feira, 19 de março de 2015

[DIVERSIFICANDO] Apenas mais um Gleek - Leandro de Lira




Don't stop believin'. Hold on to that feelin'… (Não pare de acreditar. Agarre-se a este sentimento...) Quem nunca ouviu Don’t Stop Believin’? Tá, você pode não estar lembrando, mas aposto que já ouviu algum trecho da música, ao menos, nos comerciais da Globo para divulgar a exibição da série Glee em TV Aberta. Lembro claramente quando a série começou a ser exibida nos EUA e eu, um adolescente amante de musicais, fiquei completamente encantado e louco para assistir. Não aconteceu de imediato, mas após o primeiro mês de exibição, comecei a assistir.

Geralmente, nas produções audiovisuais norte americanas, pouco se via algum filme ou série que olhasse e mostrasse o colegial de forma menos binária, onde o foco era o adolescente atormentado por dúvidas, questões do crescimento e crises existenciais ou algo levado mais para o escárnio, para o lado em que o mesmo pensava bem menos e tais questões eram tratadas de forma pública e ridicularizada. Até que Glee surgiu e não só mostrou algo diferente, mas também mudou a vida de muitos jovens e a maneira como observávamos (ou ainda observam) o próximo.

Uma garota arrogante e aspirante à estrela da Broadway, filha de pais gays e judia. Um garoto violento e completamente troublemaker. Um garoto gay, filho de pai viúvo e convencional. Uma garota negra e talentosíssima, mas que se sente invisível por ser negra e gorda. Um garoto cadeirante que acredita estar impedido de viver sua sexualidade. Uma garota descendente de outra cultura e completamente presa em seu mundo particular e triste. Um garoto que, além de popular e desejado, também é quarterback e namora uma líder de torcida que perde seu status de musa do colégio após descobrir estar grávida do namorado.

E assim a série iniciou. 

segunda-feira, 16 de março de 2015

[NOVIDADES] Lançamentos de Março - Editora Arqueiro



Sinopse:

A transformação de Raven - Florença, o berço do Renascimento. Um lugar culturalmente fervilhante, perfeito para quem quer esconder segredos ou está em busca de uma segunda chance. Como a doce Raven, que se muda para a cidade na tentativa de esquecer os traumas do passado e se dedicar à sua maior paixão: a restauração de pinturas renascentistas.
Um dia, voltando para casa do trabalho na Galleria degli Uffizi, sua vida muda para sempre. Ao tentar evitar o espancamento de um sem-teto, Raven é atacada. Sua morte parece iminente, mas seus agressores são impedidos e brutalmente assassinados. Assustada e prestes a perder os sentidos, ela só consegue vislumbrar uma figura sombria que sussurra: Cassita vulneratus.
Ao despertar, Raven faz duas descobertas perturbadoras: uma semana se passou desde o ocorrido e ela se transformou por completo. Quando volta ao trabalho, mais uma surpresa: alguém conseguiu burlar o sofisticado sistema de segurança da galeria e roubar a inestimável coleção de ilustrações de Botticelli sobre A divina comédia.
Em busca da verdade, Raven cairá diretamente nos braços do Príncipe de Florença – tão belo quanto poderoso, tão sedutor quanto maligno –, que lhe apresentará um submundo de seres perigosos e vingativos, cujas leis ela precisa aprender depressa se quiser se manter viva e salvar os que a cercam.
A transformação de Raven marca o início da série Noites em Florença, cujos personagens foram apresentados em O príncipe das sombras.

quarta-feira, 11 de março de 2015

[NOVIDADES] Lançamentos de Março - Editora Novo Conceito



Sinopse:

A Mais Pura Verdade - Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha.
Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças.
Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.
Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier.Nem que seja a última coisa que ele faça. 
A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.

sábado, 7 de março de 2015

[RESENHA] Tensão - Gail McHugh


Há muito tempo eu não sentia uma pura relação de amor e ódio com algum livro. Geralmente, o que aconteceu com frequência foi o fato de eu ter gostado ou não das minhas leituras e só. Ninguém imagina como foi difícil avaliar este livro. Foi dificílimo. “Tensão” conseguiu me levar a níveis inimagináveis de satisfação durante muitos momentos, mas o grande “zero à esquerda” da história foi a protagonista. Tentarei ao máximo ser claro ao expor minha opinião a respeito deste romance, mas espero não soar rude.

Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413731
Ano: 2012
Páginas: 336
Nota: (4/5)
Tensão - Após a morte da mãe, a vida de Emily Cooper vira de cabeça para baixo. Ela precisa de um novo começo, e Dillon Parker, seu namorado, a convence a se mudar para mais perto dele a fim de passarem mais tempo juntos. Em Nova York, Emily arranja um emprego temporário como garçonete em um restaurante no centro de Manhattan. Ao sair para fazer uma entrega logo no primeiro dia de trabalho, ela esbarra em Gavin Blake, um empresário sexy e bem-sucedido. Assim que seus olhares se encontram, há uma tensão no ar, mas nenhum dos dois consegue entender ou explicar essa forte conexão. Atormentada, Emily tenta não pensar muito naquele desconhecido que mexeu tanto com ela. Porém, ela descobre que Dillon e Gavin são amigos e que terá de conviver com ele muito mais do que poderia ter imaginado. Perdida em sentimentos confusos, Emily sente o desejo por Gavin crescer e se tornar mais ardente a cada vez que se encontram. Será que os dois vão resistir à tensão ou se entregar a essa paixão, apesar de todas as consequências? 

quarta-feira, 4 de março de 2015

[RESENHA] Vinte Garotos no Verão - Sarah Ockler


Às vezes (ou quase sempre) quando menos espero, sou surpreendido com alguma leitura. Desde que “Vinte Garotos no Verão” foi publicado lá fora, eu já sentia uma curiosidade acerca do mesmo. No entanto, quando me propus a lê-lo na primeira vez, a leitura não fluiu e acabei deixando-a de lado. Por pura insistência, acabei dando uma segunda chance ao mesmo e felizmente gostei da história que encontrei.

Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581633657
Ano: 2014
Páginas: 288
Nota: (4,5/5)
Vinte garotos no verão - Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que vocêaprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá).As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.